Como A Inteligência Artificial Pode Apoiar A Educação Inclusiva

 Artigo publicado no Portal Diversa, do Instituto Rodrigo Mendes em 17 de maio de 2023

Nas últimas semanas, principalmente na mídia, está se discutindo muito sobre os avanços da Inteligência Artificial, IA. Como sempre, eu só vejo dois caminhos. Se alguém é contra, fica reproduzindo esses discursos prontos, sem se informar ou formar suas próprias opiniões, a AI vai continuar se desenvolvendo do mesmo jeito, não tem volta. Ou podemos estudá-la, conhecer melhor e usá-la a nosso favor, como eu tenho feito.

Eu por ter paralisia cerebral e, por consequência de mais de cinco décadas de muitos movimentos involuntários incessantes e grandes esforços para manter a coordenação motora, estou envelhecendo de maneira muito mais acentuada que as demais pessoas. Por isso, passei a pesquisar sobre as novas tecnologias da IA, a ler muito, fazer cursos, acompanhar novidades, visando usá-la ao meu favor, justamente para me auxiliar, compensar essas perdas pela idade, a me comunicar, tanto no jornalismo, quanto nos meus estudos e escritas científicas, quanto em minhas criações literárias e artísticas. E a partir disto, fiz o seguinte questionamento: Como a Inteligência Artificial pode ajudar crianças com deficiência a terem acesso ao aprendizado e, consequentemente, autonomia em todas as fases de suas vidas?

A inteligência artificial (IA) tem o potencial de revolucionar a maneira como as crianças com deficiências são educadas nos anos escolares iniciais, recebendo um nível mais personalizado e eficiente de ensino, permitindo-lhes desenvolver suas habilidades de maneira mais eficaz. Isso inclui desde a identificação precoce de necessidades especiais até o desenvolvimento de planos de ensino personalizados, com o objetivo de oferecer a essas crianças o melhor ambiente de aprendizagem possível.

Uma das principais maneiras pelas quais a IA pode ajudar as crianças com deficiências visuais, auditivas e motoras é através da identificação precoce de suas necessidades individuais. Usando algoritmos avançados de aprendizado de máquina, os professores podem detectar sinais de dificuldade de aprendizado em seus alunos de forma mais eficaz do que jamais foi possível antes. Por exemplo, ela analisará o comportamento e o desempenho de um aluno em atividades de leitura e escrita e identificará padrões que sugerem dislexia ou outros transtornos de aprendizagem, permitindo aos professores a intervir mais cedo e fornecer apoio adequado aos alunos antes que eles fiquem muito atrasados.

A IA colabora com os professores a personalizar o ensino de acordo com as necessidades individuais de cada criança. Por exemplo, analisando o desempenho de um aluno em uma determinada habilidade, como a leitura, e identificar áreas em que ele ou ela está com mais dificuldades. Com base nesses dados, a IA desenvolverá um plano de ensino personalizado que enfatize essas áreas específicas e forneça atividades de prática adicionais para ajudar o aluno a melhorar.

Outra maneira pela qual a IA pode ajudar crianças com deficiência é através do uso de tecnologia de apoio, desenvolvendo aplicativos de aprendizagem personalizados que ajudem crianças com deficiência visual ou auditiva a interagir com o material didático de forma mais eficaz. A IA pode ser usada para desenvolver tecnologia de reconhecimento de voz, que permite a crianças com deficiências motoras ou de fala controlar dispositivos eletrônicos para se comunicarem.

Outra possibilidade será o uso da IA para melhorar a comunicação entre os professores e os pais dessas crianças, desenvolvendo aplicativos que permitem aos pais monitorar o progresso de seus filhos e receber atualizações regulares sobre seu desempenho escolar, envolvendo-os no processo de aprendizagem de seus filhos e garantir que eles recebam o apoio de que precisam.

No entanto, vale algumas ressalvas. É importante notar que a IA não é uma solução mágica para todos os desafios enfrentados por crianças com deficiência. Embora a IA possa ser uma ferramenta valiosa, ela não pode substituir completamente a interação humana e o apoio individualizado que muitas dessas crianças precisam. É importante lembrar que cada criança, tenha deficiência ou não, é única e requer um plano de ensino personalizado e uma abordagem adaptada às suas necessidades individuais.

Sempre será importante abordar questões éticas relacionadas ao uso da AI na educação dessas crianças. As escolas e os educadores devem ser transparentes sobre o uso de IA e garantir que os dados coletados sejam usados de forma responsável e respeitando a privacidade das crianças e suas famílias.

Em resumo, a IA tem o potencial de melhorar significativamente a educação de crianças com deficiência nos anos escolares iniciais, oferecendo um ambiente de aprendizagem personalizado e eficiente. No entanto, é importante lembrar que a IA é apenas uma ferramenta e não pode substituir a interação humana e o apoio individualizado que muitas dessas crianças precisam. Com uma abordagem equilibrada e responsável, a IA pode ser uma ferramenta valiosa para ajudar crianças com deficiência a terem sucesso em sua educação.

ALGUMAS FONTES CONSULTADAS

"Bridging the Gap Between Theory and Practice" - Este artigo, publicado na revista científica Journal of Special Education Technology, discute como a inteligência artificial pode ser aplicada para personalizar o ensino e melhorar o apoio educacional para crianças com deficiência.

"Inteligência Artificial na Educação Especial: Os Desafios da Adaptação de Conteúdo Instrucional para Alunos com Deficiência" - Este artigo, publicado no Journal of Educational Technology & Society, discute os desafios e benefícios do uso da inteligência artificial na adaptação de conteúdos educacionais para crianças com deficiências.

“Aplicativos para pessoas com deficiência: como a inteligência artificial pode melhorar a vida de milhões de brasileiros” - BBC News Brasil

“Criança com dificuldade de aprendizagem: o processo de construção de uma guia de encaminhamento de alunos com queixas escolares a serviços de saúde” - Revista Psicopedagogia 1

“Inclusive Education: Promising Practices and Considerations" - Este artigo, publicado na revista científica Frontiers in Psychology, explora o potencial da inteligência artificial na promoção da educação inclusiva, com foco nas necessidades das crianças com deficiências. Ele discute a identificação precoce de necessidades especiais, personalização do ensino e o desenvolvimento de tecnologias de apoio.

“O lúdico como recurso metodológico na inclusão de alunos com deficiência intelectual no Ensino Fundamental” - Revista Educação Pública 2

“Tecnologia assistiva é aliada para crianças com deficiência na educação” - Portal Lunetas

SANTOS JR, Francisco Dutra dos; BARONE, Dante Augusto Couto; WIVES, Leandro; KUHN, Igor. Inteligência Artificial e Educação Especial: Desafios Éticos. In: WORKSHOP DE DESAFIOS DA COMPUTAÇÃO APLICADA À EDUCAÇÃO (DESAFIE!), 8, 2019, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2019. p. 13-15. 


Postar um comentário

Por favor, assine o nosso LIVRO DE VISITAS, escrevendo o que desejar neste espaço. Agradecemos de coração!

Postagem Anterior Próxima Postagem