A HISTÓRIA POLÍTICA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO BRASIL E ATUAL FALTA DE REPRESENTIVIDADE NACIONAL


Palestra de Emílio Figueira na ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS – ENFAM, Brasília, 12 de abril de 2022. Conteúdo baseado em seu livro “AS PES-SOAS COM DEFICIÊNCIA NA HISTÓRIA DO BRASIL – UMA TRAJETÓRIA DE SILÊNCIOS E GRITOS” (Wak Editora, 2022), intercalado com trechos do documentário de 2010, HISTÓRIA DO MOVIMENTO POLÍTICO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO BRASIL, de Aluizio Salles Junior/Fazenda Filmes, é uma produção da Organização dos Estados Ibero-americanos – OEI e da Secretaria de Direitos Humanos.

Nele, Emílio Figueira fala das preliminares do “Ano Internacional Da Pessoa Deficiente” como o início da busca de uma imagem positiva, os Movimentos Políticos das Pessoas com Deficiência nos anos 1980 e 1990, o surgimento de entidades e associações e como esses movimentos começaram a ter impacto nas Constituições Federal e Estadual e na Lei Orgânica do Município. O mesmo processo se deu na elaboração da Constituição Estadual (em cada Estado) e da Lei Orgânica (em diversos Municípios). Teve a origem e a formação de vários Conselhos Estaduais e Municipais. 

Faz uma análise de quais as representações sociais geradas pelos movimentos das pessoas com deficiência, terminando com suas críticas pessoais sobre a falta de união e de uma representatividade nacional atual no Brasil.

Deixe um Comentário

Olá, ficarei muito feliz se você puder comentar este texto.
Um abração!
Emílio Figueira

Postagem Anterior Próxima Postagem